Meu Ensino médio junto ao trabalho   

Dando continuidade ao post anterior. Assim que saí do ensino fundamental, estava com 14 anos e já queria ganhar o meu próprio dinheiro. Então fui em busca de comércios locais para deixar currículos, mas ninguém queria me dar emprego. Talvez por ser muito novo.

 

Já estava a procura a cerca de uma mês e meio mais ou menos e ninguém havia me chamado. Aquilo me desanimou muito, pois imaginei que seria muito simples arrumar um trabalho. que era só chegar, se apresentar e pedir um emprego que logo haveria alguém disposto a me pagar para fazer algo que quisessem.

Eu era novo, e não sabia ainda como a vida funcionava de verdade. Então um dia estava passando com minha irmã pela rua. Acho que estávamos indo comprar sorvete na rua de baixo.

 

Foi então que eu vi uma placa. Precisa de office boy. Favor comparecer no centro no dia 09/05 a partir das 07:00.

 

Nesse horário eu deveria estar estudando. Mas então fui conversar com meus pai que eu gostaria de estudar e trabalhar, assim então eu deveria faltar aquele dia de aula para conseguir aquela vaga.

 

A ação agora vai começar

Meus pais então autorizaram, mas com uma condição. Que meu desempenho escolar não fosse afetado por trabalhar. Pois não me obrigavam a fazer aquilo e que era por minha própria conta em risco.

 

No dia 09/05 então eu estava lá naquela fila gigantesca de gente para aquela vaga de office boy. Na verdade eu não sabia nem o que era um office boy. As pessoas foram me explicando na fila da entrevista. Olha que coisa mais constrangedora para os dias de hoje. Se candidatar a uma vaga de algo que você não faz nem ideia do que seja.

 

Então, depois de muito esperar. já era por volta das 14:00 horas e eu estava morrendo de fome naquele momento. Chegou a minha vez. Foi então que o examinador me fez várias perguntas e me perguntou se eu tinha problema em fazer trabalho pesado. Eu disse que não. Mas já estava me perguntando. Por que diabos ele está me perguntando isso. Não era vaga para office boy? Me disseram que eu só deveria andar para entregar as coisas.

 

Foi Então que ele disse que não haviam mais vagas para Office boy. Que todas as vagas já haviam sido preenchidas. Mas que ainda estavam precisando de gente para trabalhar na reposição da cozinha.

 

Eu não pensei duas vezes e disse que queria.Eu na verdade não estava me importando sobre o que era. Eu só queria trabalhar para conseguir o meu dinheiro.

 

O examinador gostou da minha empolgação e disse que eu começava uma semana depois e que era para eu levar uma pilha de documentos.

Mas eu havia me esquecido de um pequeno problema. A escola. Era no mesmo horário que eu estudava. Então tive que resolver isso. A única solução que me foi apresentada, era mudar o meu horário estudo para o horário da noite.

 

Eu não queria fazer isso pois perderia todo o meu tempo livre. Mas não tinha jeito. Era a única saída se eu realmente quisesse trabalhar e assim então foi feito.

 

Por muitas vezes eu chegava na aula e acaba capotando Em cima da mesa de estudos. Dormia mesmo. E não tinha como ser diferente. Eu ainda não havia me acostumado a essa nova rotina. Foi então que as coisas foram se ajeitando e eu fui pegando o ritmo e me adequando.

 

Essa empresa que eu trabalhar tinha um contador que sempre almoçava lá na cozinha em um mesmo local. E sabendo do ele fazia ali. Era louco de vontade de me achegar a ele para poder perguntar mais sobre a profissão. Mas não foi preciso. Ele mesmo veio até mim e começou a pedir minha ajuda para fazer alguns trabalhos pesados na sala dele, como movimentar as coisas de lugar.

 

Ali estabelecemos uma amizade e foi assim que começaram os meus primeiros contatos com rotinas administrativas e financeiras.

 

mas irei falar disso no próximo post. Eu quero terminar por aqui para não deixar este artigo muito longo e cansativo de se ler.

 

No próximo post irei então falar como iniciei meus trabalhos nos ramos de investimentos financeiros e como tive tanto sucesso nesse setor.

 

Te vejo lá. Até mais!

 

0 comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *